Pular para o conteúdo principal

A FÁBULA DA GALINHA NA TERRA DA TRIBUTAÇÃO E DA SOLIDARIEDADE

Prezados leitores do Blog do Oscar, pesquisando em meus arquivos, encontrei essa pérola escrita por um amigo de profissão, que retrata muito bem a situação daqueles que vencem através da educação, do trabalho árduo, e que tem coragem de ser empreendedor no país da tributação, da corrupção, da malandragem, do jeitinho brasileiro, das mamatas, das falcatruas, do carnaval com suas mulheres quase nuas, da senvergonhice de alguns cidadãos e políticos, dos feriados, da cachaça, da cerveja, do futebol, dos políticos corruptos e bandidos, e por último, da vagabundagem que se estabeleceu em nosso tão amado país, chamado Brasil!

Leiam, ponderem e reflitam o texto abaixo! Estamos em ano eleitoral e precisamos acordar para os problemas que nos afligem todos os dias como cidadãos brasileiros! Principalmente, os impostos que tanto nos atormentam e que, como somos sabedores, a fatia maior do bolo de impostos, vai para o bolso dos políticos e funcionários privilegiados dos tres poderes. Nestas eleições, precisamos votar com consciência ou, do contrário, os problemas se perpetuarão!

Era uma vez uma galinha que encontrou alguns grãos de trigo no quintal. Chamou a vaca, o porco, o pato e o cão, para ajudar a plantá-lo.

“Eu não”, a vaca mugiu.
“Nem eu”, grunhiu o porco.
“Deixa para lá”, grasnou o pato.
“Tô fora!”, latiu o cão.

A galinha, então, plantou o trigo, sozinha. Assim que estava próxima a colheita, voltou a convocar os animais para colhê-lo. Teve as seguintes respostas:

“Não recebi treino para fazer estas coisas!” (vaca)
“Quem, eu? Trabalho me cansa!” (porco)
“Estou de férias” (pato)
“Serviço pesado não é comigo!” (cão)

Não houve jeito de convencer a bicharada a colaborar, de forma que a galinha teve que colher o trigo sozinha.

Chegou a hora de assar o pão com o trigo colhido. “Quem vai me ajudar?”, foi a pergunta da galinha, diante da qual obteve as seguintes evasivas:

“Estou no seguro desemprego, e por isso não preciso trabalhar” (vaca)
“Está muito quente, deixa isto para um dia mais frio!” (porco)
“Ei, você tem que me pagar hora extra, senão não faço!” (pato)
“Se eu trabalhar e aumentar minha renda, perco a bolsa-ração, eu preciso dela!” (cão)

Então a galinha assou o trigo e obteve 5 pães como resultado. Satisfeita, mostrou-os à bicharada.

Todos exigiram uma parte, mas a galinha prontamente cacarejou: “Não! Fiz todo o trabalho sozinha! Eu é que devo consumir estes pães, e não vocês!”. Como resultado, recebeu vários impropérios, entre os quais:

“Sua verme burguesa!” (vaca)
“Exijo direitos iguais!” (porco)
“Que falta de solidariedade, sua ...!” (pato)
“Gananciosa, capitalista, exploradora!” (cão)

Houve alvoroço, protestos, discursos contra a atitude da galinha. Logo chega um funcionário do governo e exige da galinha os vários impostos sobre a produção do pão.

Diante de tamanha pressão, a galinha alegou que trabalhara sozinha, e que ninguém a ajudara, nem o governo, nem a bicharada, portanto, tinha direito a dispor do pão como bem entendesse.

O funcionário do governo chamou então a polícia e falou: “você se arriscou a produzir, pelas nossas leis, você deve pagar os impostos e os trabalhadores produtivos devem dividir os lucros com todos, para a paz e a justiça social”.

Desta forma, 2 pães foram entregues ao governo, como pagamento de impostos, e os 3 pães que restaram foram divididos em fatias e distribuídos em partes entre a bicharada.

Todos comeram e se fartaram, achando muito justas as leis do país da tributação e da solidariedade. Porém, a bicharada não entendeu porque, nunca mais, a galinha voltou a fazer pão...

Essa é a dura, triste, cruel e real situação de quem se atreve a produzir alguma coisa no Brasil. Temos o "Robin Hood" chamado governo, que toma dos produtores e trabalhadores em forma de impostos, embolsa a maior parte do saque, e distribui as migalhas com os pobres e com aqueles que nada produzem no Brasil, alegando estar efetuando "uma distribuição de renda e igualdade social" às custas dos trabalhadores e das empresas privadas.

Créditos: Júlio César Zanluca.
Julio César Zanluca é contabilista e coordenador técnico do site Portal Tributário.

ACORDA BRASIL!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Mal que a Corrupção causa a um país e um povo

Prezados leitores do Blog do Oscar, lendo o jornal BBC Brasil On Line me deparei com a seguinte matéria sobre a dificuldade encontrada por empreendedores em abrir e manter seus negócios na Rússia, país tomado pela corrupção e leis retrógradas que atravancam o desenvolvimento do país, e tiram o sossego e o sono de empresários. 
Ser empresário na Rússia virou profissão de risco para aqueles que se recusam a vender seus negócios a pessoas estranhas, pressionados por autoridades fiscais corruptas, que agem de forma descarada, achincalhando os empresários honestos que geram empregos, renda e pagam impostos. 
Vejam que coisa mais absurda! Leiam a matéria, reflitam, e que possamos ficar atentos para que o mesmo não venha a acontecer no Brasil.
Russo diz ter sido preso por se recusar a vender empresa Empresário tomou empréstimos e investiu para modernizar indústria
Fazer negócios na Rússia é reconhecidamente difícil. Mas em poucos lugares o empresário pode ser preso por não querer se desfazer do s…

Eu odeio a Oi Velox Lixo

Prezados leitores do Blog do Oscar, nunca odiei uma empresa tanto quanto estou odiando a Oi Velox nesse momento. Necessito da internet para desenvolver grande parte do meu trabalho e desde segunda-feira passada estou tendo problemas com a conexão da Oi Velox Lixo que teima em cair a todo momento.
Há alguns meses atrás, passei pelo mesmo problema! Abri uma reclamação na Oi Velox Empresarial mas, nem me deram satisfação! Abri outra reclamação na ANATEL mas, com essa foi pior ainda, até a presente data não obtive nenhuma resposta por parte das duas empresas. Abri reclamação no site Reclame Aqui, outra decepção! Como não obtive êxito, resolvi não mais reclamar e logo que o contrato vencer no mês de setembro próximo, não o renovarei. Buscarei outras alternativas de acesso à internet.
Como não tenho a quem recorrer, escrevo esse post para sentar o pau (no bom sentido), para desabafar, para mostrar a minha indignação com  essa empresa porcaria, de quinta categoria, bem como, para sentar o cace…